Untitled Document
MENU
Buscas
 Prefeitura de Pedro Leopoldo busca alternativas para amenizar a crise
Prefeitura de Pedro Leopoldo busca alternativas para amenizar a crise
Da Redação
do Por Dentro de Tudo
Publicada 11/09/2017

Na semana passada, a Prefeitura de Pedro Leopoldo divulgou nota informando que busca alternativas para amenizar a crise financeira. Para 2017, conforme informado pelo Governo, a previsão é que o município arrecade R$ 4 milhões a menos que no ano passado. O impacto na receita deve-se especialmente à redução da produção cimenteira, que é a alavanca propulsora da economia municipal.

Para sobreviver à crise, Pedro Leopoldo promove ações tidas como estratégicas. "O Prefeito Cristiano Marião deixou de nomear cargos que ele tinha direito por lei; estamos reduzindo contratos com fornecedores; realizando o Recadastramento Funcional, para o controle mais efetivo sobre o valor despendido com o funcionalismo; e iniciaremos uma campanha para estimular os cidadãos inadimplentes a quitarem seus débitos com a Prefeitura", enumera o Secretário de Administração, Thomas Lafetá.

O Prefeito Cristiano Marião ressaltou que todas as medidas possíveis têm sido tomadas paralelamente à necessidade de manter os serviços públicos essenciais. "Com a crise, as pessoas passam a demandar mais do poder público. Muitos que tinham plano de saúde, por exemplo, hoje não têm mais. Especialmente nas áreas da saúde e da educação, estamos atendendo um público maior se compararmos com 2016 ", disse.

Reaquecimento da economia

A saída para aquecer a economia é atrair empresas e investidores que possam gerar empregos e renda aos munícipes. A Secretaria Municipal de Planejamento Urbano já identificou dois grandes entraves ao estabelecimento de empresas no município: a burocracia municipal e os licenciamentos ambientais. "Em relação à burocracia municipal já conseguimos reduzir de maneira sensível o prazo para o registro de uma empresa, porém em relação ao licenciamento ambiental somos dependentes de outras esferas. Já iniciamos as conversas com o Governo do Estado e Federal para adotarmos procedimentos comuns e facilitarmos a instalação de empresas no Município. Estamos preparando um programa para a atração de empresas de tecnologia, conhecidas como Startups", detalhou o Secretário João Luiz Issa.

Segundo o Secretário, outra alternativa para atrair investimentos é promover algumas concessões, como por exemplo da Rodoviária e da iluminação pública. "É possível que um parceiro privado possa investir na expansão do comércio na rodoviária, o que vai gerar empregos diretos e indiretos", ressaltou. "Já em relação a iluminação pública, estimamos que um parceiro privado teria que investir cerca de R$ 20 milhões em todo o município, substituindo a antiga iluminação por lâmpadas de LED. A troca, por si só,propiciaria a valorização dos imóveis, a melhoria da segurança local, a geração empregos e ainda tornaria a cidade mais bonita. Estas duas concessões serão promovidas nos próximos anos e vão trazer boas oportunidades de trabalho e renda", concluiu Issa.

Abono e 13º dos servidores

Em meio ao desafio de reduzir gastos e gerar renda, o governo tenta negociar com os servidores o pagamento do dissídio de 2017. Em nota, a Prefeitura informou que deve ultrapassar o limite de 54% determinado pela Lei de Responsabilidade Fiscal e, por esta razão, não pode conceder, em 2017, qualquer reajuste aos servidores. Para reduzir as perdas da inflação, Marião propôs a quantia de R$ 408,00. O valor seria pago a todos os servidores efetivos, em forma de abono de caráter indenizatório - que não será incluído na folha. O Prefeito tem percorrido as dependências da Administração Municipal para conversar e apresentar a proposta aos servidores.

Na manhã da última segunda-feira (04), foi a vez de se reunir com profissionais da Educação. Segundo Marião, o valor do dissídio referente a 2017 pode ser revisto no próximo ano, caso a arrecadação do Município registre crescimento. "Convidamos os servidores para que, em conjunto com a equipe da Secretaria Municipal de Fazenda, monitorem a arrecadação e busquem as melhores estratégias para valorizar os servidores, que estão sem benefícios desde a gestão passada".

"Desde o início do mandato determinei que fossem respeitados direitos, como as férias que não estavam sendo concedidas", frisou. O Prefeito ainda ressaltou que a Administração faz reserva para pagar os salários e o décimo terceiro.

Da Redação.

 Documento sem título
Comentários